ARTIGOS

O Costume Japonês de Encapar Livros

O hábito de proteger os livros com capas é um exemplo do respeito e cuidado que os japoneses têm ao vender e entregar um produto

Compartilhe

A tradição japonesa de encadernar livros

É um costume das livrarias japonesas oferecer uma capa feita na hora para proteger os livros novos

No Japão, ao comprar um livro, é comum que o vendedor pergunte se o cliente deseja uma capa de papel, que é feita na hora, no próprio balcão, utilizando um simples papel dobrado de acordo com o tamanho do livro.

O hábito pode ser considerado um exemplo do típico omotenashi japonês - o cuidado com o outro - que nesse caso é traduzido como uma forma de antever os desejos e necessidades do consumidor.

Luciana Pellegrino, diretora executiva da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE), visitou a exposição 'Embalagens: Designs Contemporâneos do Japão'

A simples capa feita de papel garante que o livro fique livre de sujeiras e dobras decorrentes do manuseio, preservando-o por mais tempo. Todo esse cuidado com o objeto também se relaciona com o termo tsutsumu, que em japonês significa 'embrulhar' e que traduz nas embalagens e embrulhos o respeito e a consideração pela pessoa que irá receber o item.

Assista à JHSPLive sobre 'A Cultura de Embrulhar e o Design de Embalagens Atuais no Japão'

Assista ao vídeo e aprenda a fazer capas para os seus livros

As capas de livros podem ser feitas com os mais variados papéis e até mesmo com tecido. Como parte da programação da exposição 'Embalagens: Designs Contemporâneos do Japão', o educador da Japan House São Paulo, Lipe Lima, ensina a fazer a dobradura que pode ser aplicada em qualquer publicação.

Além de proteger seus livros, as capas são uma ótima oportunidade para enfeitar a sua estante.

 

Confira mais conteúdos relacionados à 'cultura do embrulhar' no Japão: 

Saiba mais sobre a exposição 'Embalagens: Designs Contemporâneos do Japão', em cartaz na JHSP

+ Você conhece o furoshiki?

+ Aprenda a fazer uma caixinha de origami

 

Related Content

Voltar ao topo