ARTIGOS

A Fabricação da Tinta Utilizada na Caligrafia Japonesa

A tradicional arte do Shodō depende de boas tintas para ser realizada, com processos artesanais que remontam a séculos atrás

Compartilhe

A fabricação artesanal da tinta utilizada no Shodō 

A arte da caligrafia japonesa depende de bons pincéis, tintas e papéis

Um dos elementos essenciais na caligrafia japonesa, o Shodō, é a tinta sumi, composta por fuligem, cola nikawa e aromas provenientes de especiarias. Pode-se dizer que a arte do Shodō começa no preparo da tinta sumi, já que é necessário raspá-la juntamente com água no suzuri - recipiente de pedra que possui uma superfície própria para o preparo da tinta. Nesse momento, o calígrafo controla a intensidade da tinta de acordo com os efeitos desejados, obtendo assim uma variação de tons mais fortes ou suaves.

+ Assista à introdução ao Shodō, realizada por Yasuko Kanazawa, mãe e mestre da artista Shoko Kanazawa

Inicialmente, a produção de tinta sumi era realizada por um órgão do governo japonês, seguindo um processo definido. No entanto, com o aumento da busca por esse material por parte da população, alguns templos foram autorizados a também produzi-la. No final do período Muromachi (1336 - 1573), sua fabricação passou a ser feita por cidadãos. Nesse contexto, em 1577, foi fundada a fábrica Kobaien, em Nara, que mantém ainda hoje os processos tradicionais na fabricação de sumi artesanal.

+ Entenda o processo de fabricação do pincel Edo, ferramenta imprescindível na arte da caligrafia japonesa

Apesar de atualmente ser comum também adquirir a tinta sumi em estado líquido, não é possível reproduzir os mesmos tons obtidos com o uso de sua versão sólida.

+ Conheça o processo de trabalho de Shoko Kanazawa, importante calígrafa japonesa

Neste vídeo produzido especialmente para a Japan House São Paulo, a Kobaien apresenta com detalhes cada um dos processos da fabricação deste insumo que dá vida ao Shodō: a formação da fuligem, a dissolução da cola nikawa, a moldagem, a secagem e a sua finalização.

 

Este é um conteúdo relacionado à exposição DŌ: O Caminho de Shoko Kanazawa, em cartaz na Japan House São Paulo

+ Confira mais detalhes sobre a exposição

Shoko Kanazawa é uma especialista em Shodō, a arte da caligrafia japonesa

Conheça mais sobre o Shodō e aprenda a dar os primeiros passos na arte da caligrafia 

Shodō (書道) significa, em japonês, o caminho da escrita, em que ‘Shō’ exprime o ato de representar letras e palavras com métodos e formas variadas. A caligrafia japonesa visa dar vazão às emoções através da escrita e é uma arte e disciplina ensinada às crianças japonesas durante a educação primária. É praticada tanto com caracteres ideogramáticos – kanji – quanto com os fonéticos – hiragana katakana. A caligrafia é conhecida por exigir alta precisão do calígrafo, cada caractere dos kanji devem ser escritos segundo uma ordem de traços específica, aumentando dessa forma a disciplina necessária daqueles que praticam esta arte. A liberdade de cada artista nesse gestual e interpretação é o que determina o estilo individual.

Acesse os links abaixo para vídeos de introdução à caligrafia japonesa: 

+ Vídeo: Introdução ao Shodō, com Yasuko Kanazawa

+ Vídeo: Oficina prática de caligrafia japonesa

+ Vídeo: A fabricação dos pincéis de caligrafia japonesa

Related Content

Voltar ao topo