Adriana e Alberto Tufaile observando de perto a instalação Parade – um pingo pingando, uma conta, um conto, em cartaz no 2º andar da JHSP.

Artigos

JHSPdrops | Adriana e Alberto Tufaile falam sobre ‘Parade – um pingo pingando, uma conta, um conto'

Os físicos falam de suas impressões sobre as esculturas cinéticas e sonoras de Yuko Mohri

Compartilhe

JHSPdrops | Parade – um pingo pingando, uma conta, um conto

A Japan House São Paulo convidou os professores Adriana e Alberto Tufaile, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, para comentarem a exposição inédita ‘Parade – um pingo pingando, uma conta, um conto’, que apresenta ideias como transitoriedade e impermanência, conceitos muito presentes na cultura nipônica.

Percepções de Adriana e Alberto Tufaile sobre as esculturas cinéticas e sonoras

Os docentes falam sobre o papel do observador de significar a obra para si mesmo, colocando em foco gostos e entendimentos individuais, e, como são físicos experimentais, Adriana e Alberto também dividem suas necessidades de interação com os objetos expostos - que criam ecossistemas compostos por esculturas cinéticas e sonoras.

Dê o play e confira a fala completa dos dois sobre a obra da artista Yuko Mohri:

 

Veja mais:

+ JHSPdrops, com Daniel Daibem

Voltar ao topo