Dois símbolos com fragmentos brancos em fundo azul marinho.

Artigos

Os Jogos Mais Sustentáveis

A missão dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tokyo 2020 é mostrar que, além de belo, ser sustentável também é preciso

Compartilhe

Os Jogos Mais Sustentáveis

 

Os Jogos Olímpicos são frequentemente vistos como um brilhante modelo de unidade internacional - uma oportunidade para o mundo se unir em torno da beleza do esporte e fortalecer laços internacionais durante esse processo. Mas isso frequentemente tem um custo para o meio ambiente da cidade anfitriã, como revitalizações urbanas em larga escala que, mais tarde, caem em desuso, consumo massivo de energia, problemas de gestão de resíduos e muito mais. Ainda assim, em uma era de crise climática iminente, hospedar as Olimpíadas também é uma plataforma oportuna para colocar na vitrine novas formas de sustentabilidade.

Mais um objetivo olímpico

Essa é a missão dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tokyo 2020: ser a competição mais verde de todos os tempos e liderar com um design inovador que mostra que, além de belo, a sustentabilidade é também necessária.

Conforme expresso no princípio de sustentabilidade de Tokyo 2020: “Ser melhor, juntos - para o planeta e as pessoas”, o comitê organizador desenvolveu os jogos baseando-se nas 17 metas de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas e dos princípios de emissão “zero de carbono” por meio de fontes de energia renováveis e créditos de compensação de carbono. Mas esse “espírito verde” também se estende a todos os aspectos dos jogos e, particularmente, ao design de elementos olímpicos icônicos, como as instalações esportivas e a Vila dos Atletas, a tocha e as próprias medalhas.

O Estádio

Muitos fãs de design ficaram radiantes com o fato de o novo Estádio Nacional ser projetado pelo famoso arquiteto Kengo Kuma. O estádio, que foi concluído no final de 2019 no Parque Meiji Jingu Gaien, de Shinjuku, sediará as cerimônias de abertura e encerramento dos jogos, bem como as competições de atletismo. A inovação vai além do estilo elegante, que segue as sugestões da arquitetura tradicional japonesa: o espaço possui madeira proveniente de fontes renováveis de todas as 47 províncias do país e um design que promove a eficiência energética e permite que o fluxo de ar seja natural para evitar a dependência de ar-condicionado durante o calor do verão, estação em que os jogos serão realizados.

A Vila Olímpica

 

Construída na orla de Harumi, no distrito de Chuo, em Tóquio, a Vila Olímpica foi um projeto ainda mais abrangente. Para garantir um cuidadoso desenvolvimento, os organizadores de Tokyo 2020 trabalharam com o Governo Metropolitano de Tóquio no planejamento do design deste distrito - não apenas para o período em que os atletas olímpicos e paralímpicos nela viverão nele, mas também para o período pós-Jogos, quando ele se tornará uma área de novas moradias para a cidade.

Durante os jogos, os atletas e a equipe de apoio passarão tempo na arejada Praça da Vila, que também foi projetada de forma sustentável e construída com 40 mil peças de madeira, incluindo lariço, cedro japonês e cipreste japonês doados por 63 governos municipais ao redor o país. Cada peça de madeira do complexo foi carimbada com sua região de origem, portanto os atletas e visitantes também são convidados a fazer uma “brincadeira” para identificar o maior número possível de regiões doadoras e colecioná-las em um passaporte. Depois deste verão, toda a madeira será devolvida aos seus distritos de origem para ser usada em obras públicas.

A Tocha

Tocha Olímpica de Tokyo 2020

 

Tocha Paralímpica de Tokyo 2020

 

A reciclagem e o reaproveitamento também fazem parte das principais estratégias de design para os ícones mais leves e menores do design olímpico. A tocha olímpica foi construída a partir de uma única lâmina de metal que continha alumínio reciclado de unidades habitacionais pré-fabricadas utilizadas após o terremoto do Grande Leste do Japão, uma década atrás.

A tocha é sustentável e significativa por simbolizar o espírito resiliente do Japão após aquele trágico desastre. Desenhado por Tokujin Yoshioka, o formato da tocha foi inspirado na sakura, tradicional flor de cerejeira, que é símbolo para a cultura japonesa de um lembrete da conexão da nação com o mundo natural. A tocha só iniciou sua jornada de revezamento quando a temporada de sakura começou a se desenrolar. Ela percorrerá todo o país divulgando a mensagem “A esperança ilumina o nosso caminho”, sendo transportada por portadores de tochas cujos uniformes foram desenhados por Daisuke Obana e confeccionados com garrafas plásticas recicladas coletadas pela Coca-Cola.

As Medalhas

Medalhas Olímpicas de Tokyo 2020

 

Medalhas Paralímpicas de Tokyo 2020

 

Em julho deste ano, depois da chegada da tocha dar início à Cerimônia de Abertura no novo Estádio Nacional, os jogos propriamente ditos começarão. Os atletas se esforçarão para garantir a vitória de suas equipes, seus países e, claro, pela tentativa de levar uma medalha para casa.

Este ano, pela primeira vez na história, todas as medalhas concedidas aos atletas foram feitas inteiramente de materiais reciclados. As aproximadamente 5 mil medalhas de ouro, prata e bronze foram extraídas de quase 80 mil toneladas de pequenos dispositivos eletrônicos doados pelo público japonês ao longo de dois anos, incluindo cerca de 6,21 milhões de telefones celulares coletados nas lojas locais da NTT Docomo em todo o país.

São cerca de 158 milhões de libras de eletrônicos doados que foram desmontados, classificados e processados para coletar o ouro, prata e bronze que foram utilizados para criar as medalhas projetadas por Junichi Kawanishi. Segundo Kawanishi, que ganhou a licitação dentre 400 inscritos em uma concorrência realizada pelos organizadores das Olimpíadas, suas medalhas “se assemelham a pedras brutas que foram polidas e que agora brilham com luz e esplendor”. O projeto de reciclagem como um todo mostra o espírito nacional de transformar materiais básicos ou potenciais resíduos em algo raro e belo.

Por meio dessas e de outras iniciativas, Tokyo 2020 pode servir idealmente como um farol de sustentabilidade, não apenas para Olimpíadas futuras, mas também para que todas as nações se concentrem nas questões ecológicas urgentes de nosso tempo. Como a crise climática exige uma verdadeira cooperação internacional para ser resolvida, há muito a aprender com o espírito de alegria e colaboração que os jogos incorporam - e os designs brilhantes que mostram como a sustentabilidade realmente está na moda.

*Conteúdo produzido por Japan House Los Angeles

 

Leia:

+ Como o Japão criou medalhas olímpicas a partir de celulares velhos

+ A tecnologia e sustentabilidade do uniforme olímpico japonês

Assista à série Especial Tóquio - a 100 Dias dos Jogos de Tokyo 2020:

+ Episódio 1: 'O Legado de 1964'

+ Episódio 2: 'Entre o Antigo e o Moderno'

+ Episódio 3: 'Metrópole em Expansão'

Voltar ao topo