Retrato da autora japonesa Sayaka Murata, em fundo branco e vernelho

Evento

Conversa com a Autora Sayaka Murata

Premiada escritora é convidada para uma conversa virtual sobre literatura japonesa

Compartilhe

Conversa com a Premiada Escritora Sayaka Murata

A JHSP exalta a literatura nipônica em um encontro online com Sayaka Murata, aclamada escritora japonesa considerada um dos principais nomes da literatura contemporânea. Realizado em colaboração com a Revista Quatro Cinco Um e a Editora Estação Liberdade, o evento acontece no dia 20 de maio, às 20h, no canal do YouTube da JHSP, e faz parte da programação do Clube de Leitura.

A autora japonesa Sayaka Murata está em pé, com um vestido branco, em frente a uma loja de conveniência, uma konbini.
© Kentaro Takahashi

Com mediação de Natasha Barzaghi Geenen, Diretora Cultural da instituição e Paulo Werneck, Editor da Quatro Cinco Um, o encontro, com tradução simultânea para português e japonês, traz um panorama da carreira de Murata, que já foi tema de um episódio da primeira temporada do Podcast Japan House SP e protagonizou dois encontros do Clube de Leitura da JHSP em parceria com a Quatro Cinco Um: o primeiro sobre o best-seller internacional Querida Konbini, publicado em trinta idiomas e com 1,4 milhão de exemplares já vendidos no mundo; e o outro sobre Terráqueos, seu segundo romance traduzido para o português, que acaba de ser lançado no Brasil pela Editora Estação Liberdade. Neste último, a autora questiona e confronta o conceito de normalidade da sociedade atual e nos deixa com uma simples pergunta: “Até onde você iria para ser você mesmo?”.

+ Saiba mais sobre o livro "Terráqueos"

O público terá a oportunidade de fazer perguntas à escritora nos quinze minutos finais do bate-papo.

A ação faz parte da programação do Clube de Leitura da Japan House São Paulo + Quatro Cinco Um, que conta com a curadoria de Natasha Barzaghi Geenen e de Paulo Werneck. Com encontros online realizados toda última quinta-feira de cada mês, o Clube considera livros traduzidos diretamente do japonês para o português, buscando ampliar o acesso dos brasileiros a este universo literário. A discussão conta, todo mês, com a participação de um convidado especial e todos os participantes são convidados a trocar ideias e compartilhar leituras.

“O Clube de Leitura tem sido um desses projetos de grande engajamento e muito envolvimento. Participantes assíduos, excelentes discussões e trocas com os convidados e muitas boas descobertas, além da adesão cada vez maior. A conversa com a autora enriquecerá ainda mais esses laços.”, declara Natasha.

+ Inscreva-se no próximo Clube de Leitura

Sobre a palestrante:

Retrato da autora japonesa Sayaka Murata, em fundo branco

Sayaka Murata

Nascida em 1979 na cidade Inzai, na província de Chiba, próxima a Tóquio. Desde a sua infância já escrevia histórias com facilidade por ser fã de mangás e ficção científica. Seu romance Querida Konbini (Estação Liberdade, 2018) — que já vendeu mais de 1,4 milhão de exemplares em todo o mundo e rendeu-lhe o prêmio Akutagawa em 2016, uma das mais prestigiadas honras literárias japonesas. Antes, havia recebido os prêmios Gunzo e Noma, em 2003 e 2009, ambos voltados para novos escritores, e o prêmio Yukio Mishima, em 2013. Terráqueos, o segundo romance da autora traduzido para o português, foi publicado pela Estação Liberdade e já vendeu milhares de exemplares mundo afora.

Serviço: 

Conversa com a Autora Sayaka Murata

Quando: 20 de maio, às 20h
Onde: YouTube da JHSP
Assista a live em portuguêshttps://youtu.be/BrQlRR4yqFQ
Assista a live em japonês: https://youtu.be/y7R_cFhG_Rs

*A transmissão contará com tradução simultânea do japonês para o português.

Compre os livros com desconto

A Editora Estação Liberdade liberou um desconto de 30% nas obras da autora Sayaka Murata, Terráqueos e Querida Konbini. Para utilizar, basta aplicar o código MURATA30 diretamente no carrinho de compras na loja online da Editora Estação Liberdade.

+ Faça sua compra neste link

*Promoção válida para pedidos feitos até o dia 31 de maio de 2021.

 

Leia também:

+ O costume japonês de encapar livros

Voltar ao topo