Novidades

A pianista Hiromi Uehara visita o Brasil

Destaque na abertura dos Jogos Olímpicos Tokyo 2020, a musicista japonesa vem ao país para palestrar na Faculdade Santa Marcelina e performar em dois concertos - em São Paulo e no Rio de Janeiro

Hiromi Uehara: a artista que desconhece barreiras musicais

O piano da musicista japonesa agrega várias personalidades musicais. A primeira é a erudita, que faz parte da sua vida desde os seis anos. A segunda, o jazz, surgiu duas décadas atrás, quando conheceu o pianista – e futuro parceiroChick Corea. Por fim, o rock. Nesse caso, o lado mais experimental que o gênero pode oferecer – do progressivo de bandas inglesas como Gentle Giant e King Crimson aos delírios instrumentais do guitarrista e compositor americano Frank Zappa.

“Eu não me considero uma pianista de jazz ou de qualquer outro estilo. Sou uma pianista, toco música e ponto final”, costuma dizer.

Com tanta singularidade em seu estilo, Uehara se recusa a rotular sua arte:

“Eu não quero colocar um nome na minha música — diz ela. Outras pessoas podem colocar um nome no que eu faço, que é simplesmente a união do que eu tenho escutado e do que tenho aprendido. Tem alguns elementos da música clássica, tem um pouco de rock, um pouco de jazz, mas não quero dar um nome a isso.”

 

Confira a agenda da artista no Brasil:

Bate-papo com a pianista
07 de junho, na Faculdade Santa Marcelina

No dia 07 de junho, às 15h30, Hiromi Uehara oferece uma palestra na Faculdade Santa Marcelina, em Perdizes - São Paulo/SP. A participação é gratuita e aberta ao público mediante inscrição prévia.

Participação na série Jazz All Night | 13ª edição
08 e 09 de junho, em São Paulo e no Rio de Janeiro, respectivamente

Uehara não gosta de rótulos - mas, sem dúvida, é o gênero americano, com toda sua abertura para improvisação, a nomenclatura mais adequada à versatilidade da musicista. A instrumentista nipônica abre a Série Jazz All Night, em sua 13ª edição, que acontece no dia 08 de junho no Teatro Renault, em São Paulo, e 09 de junho no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

As apresentações no Brasil são em formato solo, o que rende grande espaço para a improvisação. “Eu viro uma banda inteira” - ressalta a instrumentista. O repertório é baseado em Spectrum, de 2019, que agrega influências que vão de jazz ao barroco de Bach, ao clássico de Beethoven e à música minimalista de Philip Glass, além de uma adaptação de Rhapsody in Blue, de George Gershwin. Virou Rhapsody in Various Shades of Blue.

A turnê de Hiromi Uehara na Série Jazz All Night, no Rio de Janeiro e em São Paulo, é apresentada pelo Ministério do Turismo e pela Porto, com a produção da Dellarte Soluções Culturais, correalização da Japan House São Paulo e realização da Gaia Produções. Conta com o patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura, das empresas PWC e Forship Engenharia, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura - Lei do ISS, e parceria de mídia com o jornal O Globo.

--

Sobre a pianista:

Hiromi nasceu em Hamamatsu, cidade localizada na província japonesa de Shizuoka, no dia 26 de março de 1979 e muito cedo iniciou seus estudos de piano. Embora a música erudita tenha sido a porta de entrada para sua iniciação musical, Hiromi teve a sorte de encontrar uma professora com uma ampla e diversa visão musical. Noriko Hikida a aconselhou a trabalhar também com improvisação. Ela ainda apresentou discos dos jazzistas Errol Garner e Oscar Peterson para sua pupila.

“Noriko raramente usava termos técnicos para definir a minha dinâmica no piano. Ela simplesmente dizia ‘toque azul’ se queria algo mais melancólico ou ‘toque vermelho’ se achava que a peça tinha de ter um pouco mais de paixão”, comenta a artista. Os estudos de piano foram ainda completados com aulas de composição.

Em 1999, Hiromi mudou-se para Boston, nos Estados Unidos, onde estudou na Berklee College of Music. Entre seus mentores, o pianista Ahmad Jamalum dos criadores do cool jazz, uma forma mais tranquila e popular do gênero – que ajudou a produzir sua estreia fonográfica. Lançado em 2003, Another Mind é um disco de jazz contemporâneo, com influências de rock e uma curiosidade – um tema composto pela musicista para o desenho Tom & Jerry. A discografia de Hiromi incluiu ainda colaborações com o pianista Chick Corea e o baixista Stanley Clarke, duas lendas do gênero.

“A grande lição que aprendi com Corea foi a importância de ter a mente aberta e possuir um grande vocabulário musical”, diz ela. A dupla tem um álbum, lançado em 2008, que traz composições próprias e versões para Insensatez, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, e Fool on the Hill, dos Beatles.

--

Sobre a programação:

Bate-papo com a pianista japonesa Hiromi Uehara*

Duração: 90 minutos
Data: 07 de junho, terça-feira
Horário: 15h30
Endereço: Faculdade Santa Marcelina | Rua Dr. Emílio Ribas, 89 - Perdizes

*Participação mediante inscrição: clique aqui
Tradução simultânea português/inglês.

Hiromi Uehara - Solo World Tour | Série Jazz All Night*

Duração: 90 minutos
*Não recomendado para menores de 10 anos

São Paulo
Data: 08 de junho, quarta-feira
Horário: 21h
Endereço: Teatro Renault | Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411 - República
Contato: (11) 4003-5588
Ingressos aqui.

Rio de Janeiro
Data: 09 de junho, quinta-feira
Horário: 20h
Endereço: Theatro Municipal do Rio de Janeiro | Praça Floriano, s/n – Cinelândia
Contato: (21) 4002-0019
Ingressos aqui.

Voltar ao topo