As soluções tecnológicas para o futuro propostas pelas startups japonesas

ARTIGOS

As soluções tecnológicas para o futuro propostas pelas startups japonesas

De tecnologias de saúde que facilitam a vida dos idosos a soluções ecológicas para os desafios do século XXI, startups propõem inovações que evidenciam um cenário tecnológico efervescente no Japão

Compartilhe

Startups japonesas em destaque na maior feira de produtos eletrônicos do mundo

Feira antecipa soluções tecnológicas para os desafios do século XXI

No início de janeiro, dezenas de startups do Japão marcaram presença na Consumer Electronic Show 2021, uma das maiores feiras de tecnologia do mundo. Realizada normalmente em Las Vegas, nos Estados Unidos, a exposição deste ano ocorreu de forma online e serviu para mostrar algumas soluções de companhias japonesas para as necessidades do país, que podem contribuir para questões importantes ao redor do planeta.

+ Conheça a tecnologia e sustentabilidade dos uniformes olímpicos japoneses

Como ficou claro no evento, um dos grandes focos dos empreendedores de tecnologia do Japão é facilitar a vida dos idosos. Com 25% dos habitantes acima dos 65 anos, o país busca criar ferramentas que ajudem na locomoção, na saúde e no bem-estar da população mais velha. Prova disso é o Bisu Body Coach, um monitor de dados corporais para ser usado no dia a dia. Ele capta informações de alimentação e saúde, e também possui um medidor para analisar os nutrientes da urina, fornecendo, assim, relatórios detalhados para melhorar a qualidade de vida do usuário. 

Outras duas tecnologias pensadas para os mais idosos são o dispositivo que monitora a mastigação dos usuários, o Safe to Swallow, da companhia Plimes, e o primeiro aparelho que auxilia no tratamento da incontinência urinária, o Triple W, da DFree, um sensor colocado na parte inferior do abdômen que informa ao usuário a hora de ir ao banheiro. Há também projetos que, embora não sejam restritos ao público mais idoso, também servem como bons aliados nos cuidados da saúde, como é o caso do Wearable IoT for Disease Management, da Quantum Operation, um relógio que capta dados vitais, como batimentos cardíacos e qualidade do sono, e fornece relatórios que auxiliam tratamentos médicos. 

As mudanças demográficas são um desafio e um incentivo à inovação

"Ainda que o envelhecimento da população costume ser retratado como algo negativo, vários outros países passarão por essa mudança demográfica", afirmou Ichiro Sone, vice-presidente da JETRO, a organização de comércio exterior do Japão responsável por divulgar os projetos na CES, em declaração à imprensa. "O Japão já está lutando contra esses desafios, então somos um líder mundial nesse sentido... Estamos usando novas tecnologias para aprimorar os cuidados médicos e os serviços sociais."

+ Conheça o Dia do Respeito aos Idosos, uma data para homenagear os membros mais velhos da população no Japão

Mas o escopo das startups japonesas não se resume às tecnologias de saúde. Muitas empresas estão comprometidas com soluções ecológicas, algo que também se reflete nas políticas governamentais do país, que firmou o compromisso de se tornar zero carbono até 2050. Há projetos como o Bubble 90, da DG Takano, uma torneira inteligente que promete melhorar a eficiência do consumo de água em casas e estabelecimentos. Já um exemplo mais futurista é o carro elétrico de quatro hélices SkyDrive. O primeiro modelo, para duas pessoas, poderá trafegar tanto na terra quanto no ar, como um híbrido de carro e drone. A previsão de lançamento do protótipo, segundo os fabricantes, é 2023.

Outra preocupação japonesa é resolver problemas futuros causados pela própria tecnologia. O National Institute of Informatics, por exemplo, busca zelar pela segurança de dados biométricos que podem ser usados por hackers. É cada vez mais comum, afinal, hackers pegarem fotos de impressões digitais e dos rostos das pessoas para criarem moldes dos dedos e até vídeos com rostos falsos para burlar alguns sistemas. Por isso, a companhia criou um óculos que bloqueia a captação de parte do rosto e um sensor capaz de embaralhar as impressões digitais durante a geração de imagens nas câmeras. 

O Japão é um líderes em inovação no mundo

“O Japão é reconhecido mundialmente como líder em inovação. Muitos dos gigantes corporativos globais de hoje, como Sony e Honda, já foram startups", diz Sone. O executivo apontou que, de uns anos para cá, o modelo de inovação do país passou a olhar também para parceiros fora do Japão. "O compromisso das empresas japonesas com a qualidade nos produtos e nos serviços está mais forte do que nunca."

Ainda que neste ano a exibição da CES tenha sido feita de modo virtual por causa da pandemia, foi possível ver uma boa repercussão de várias soluções apresentadas pelas startups japonesas. Uma das tecnologias que mais chamou a atenção do público foi o exoesqueleto robótico da Archelis, feito de um carbono flexível muito leve e que promete ajudar os trabalhadores que passam muito tempo em pé ou muito tempo sentados a não forçar tanto as pernas. Outro destaque foi o robô KUMIITA, que ensina às crianças os prazeres de programar códigos por meio de painéis, sons, cores e figuras. 

+ Saiba mais sobre os robôs que estão ajudando a transformar o setor educacional japonês

Para os japoneses, a participação na CES 2021 foi uma amostra da evolução da cena efervescente de tecnologia e inovação no país. Os números mostram o quanto aumentou a importância das startups do Japão na feira. Em 2019, 22 companhias exibiram seus produtos na CES. No ano seguinte, a quantidade subiu para 28 e teve uma atração japonesa como vencedora do prêmio de inovação da feira, a Cuzen Matcha, uma máquina de chás. Na edição de 2021, o número de startups japonesas na CES superou 50. A expectativa para o ano que vem é ainda mais otimista.

Related Content

Voltar ao topo